Marketing em redes sociais

Publicado por Marílvia Oliveira em 25/06/2013 às 15h09

Leio hoje, dentro de uma pesquisa sobre o que  mais irrita você no LinkedIn, várias reclamações que as pessoas tem contra a rede como, por exemplo: 

- as pessoas receberem “endorsement” por capacidades que elas não possuem;

- as pessoas serem listadas em sua página para que você as convide para sua rede, sem que elas tenham tido conhecimento disso;

- as pessoas terem aberto página em um momento e, esquecendo-a, abrirem outra e ficarem suspensas em duas contas.

E assim por diante.

Cada rede tem seu esquema de expansão e, nem sempre, em concordância com o que julga um comportamento afiançável por você. Algumas redes, inclusive, colocam perguntas, ligadas à liberação de sua lista de e-mails, de uma forma que você não entende exatamente o que está liberando e, de repente, por ex. todo o mailing de seu g-mail vai para a rede. E tantos outros eventos.

Assuma que a responsabilidade pela sua imagem é somente sua. Insista até que tenham sido deletadas ações que você fez inadvertidamente e quer cancelar. Analise cada ação que realiza dentro da rede, até entender bem sua extensão antes de clicar. Abra protocolos de suporte para registrar seus problemas e peça ajuda para solução. Não deixe a coisa por isso mesmo. Imagine o problema que é um potencial cliente ou empregador acessar exatamente o site duplo que você tem e que não está atualizado!

Tome um dia por semana para administrar cada rede que faz parte de sua estratégia de comunicação.

Ao criar um site, o editor de site que você utiliza pode já lhe disponibilizar botões automáticos de postagem em certas redes. No entanto, fazer parte de uma rede é mais do que postar seus materiais. Cada rede tem uma dinâmica e é sua responsabilidade analisá-la, aceitá-la e administrá-la. Não deixe isto ao acaso ou acabará tendo fama de algo que não é seu perfil. Além de não aproveitar todo potencial da rede. O LinkedIn, por exemplo, é um passo inicial interessante mas, depois, se quiser transformá-lo em uma plataforma para sua comunicação, terá que pagar – este é o seu modelo de negócios. Depois que pagar, muitas reclamações se tornarão inócuas pois o ambiente melhora muito. Conheça este aspecto antes de entrar na rede para não ficar reclamando de procedimentos que você julga que LinkedIn deveria ter e não tem, para os não pagantes.

Voltando ao básico: a responsabilidade pela sua imagem é totalmente sua.

Imagem: © Steve Hix/Somos Images/Corbis

Categoria: Conteúdo, Criar Blog, Redes Sociais
Tags: criar um site, editor de site, LinkedIn, marketing nas redes sociais

Enviar comentário

voltar para Criar blog

left show tsN fwB|left tsN fwB|left show fwB|bnull|||news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR b01 c05 bsd|normalcase c05 b01 bsd|login news normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR b01 c05 bsd|b01 normalcase c05 bsd|||