Redes Sociais

Compartilhando tendências em B2B

Publicado por Marilvia Oliveira em 03/06/2013 às 11h52

B2B, como você sabe, é o relacionamento comercial de negócio (B, de business) para negócio. Em outras palavras, o relacionamento institucional, de empresa para empresa. Um distribuidor de peças irá se relacionar com as concessionárias, centros automotivos e oficinas mecânicas que compram as suas peças (B2B). Ele faz isso inicialmente ao criar um site e depois através das redes sociais e outras ações de marketing.

Em relatório recente feito por Content Marketing Institute e Marketing Profs, destaca-se que o marketing de conteúdo é uma estratégia firme que empresas vem utilizando em sua comunicação do tipo B2B. Quando uma empresa usa a estratégia de divulgar conteúdo, ela busca divulgar informações que, na ponta, acabam validando seu relacionamento comercial e fortalecendo os relacionamentos com clientes existentes e novos.

Neste processo algumas constatações merecem ser aqui resumidas:

Os mais relevantes objetivos no Marketing B2B são: promover conhecimento de marca, promover aquisição de clientes, gerar leads (potenciais compradores).

A tática mais usada para divulgar conteúdo são as redes sociais seguidas por: artigos no site, newsletters, blogs, estudos de caso, vídeos, artigos em outros websites. Há outro grupo de ações menos utilizados mas ainda fortes como webinars, whitepapers, relatórios de pesquisas, microsites, infográficos, ebooks, revistas, livros, conferências virtuais, podcasts etc. Bons editores de site lhe permitem inserir boa parte destes formatos em seu próprio site.

Os canais sociais mais usados são cinco. Os primeiros, com cerca de 80 a 83% de uso, são LinkedIn, Twitter e Facebook. O 4º é o Youtube (61%) e o 5º é o Google (39%). Pinterest vem crescendo neste processo e merece ser observado com atenção.

Os três maiores desafios para a empresa na geração de conteúdo são:

- produzir suficiente conteúdo

- produzir o tipo de conteúdo que envolva os clientes

- produzir variedade de conteúdo

Estas informações são relevantes para o seu planejamento B2B. Analise sua ação de marketing através das lentes destes ângulos e seguramente encontrará novos caminhos mais eficazes ainda do que a sua situação atual.

Imagem: © Beathan/Corbis

Categoria: Conteúdo, Criar Blog, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Para decisões sobre seu blog, conheça estes fatos

Publicado por Marilvia Oliveira em 25/05/2013 às 20h22

Leio em Advertising Age sobre ranking de blogs e, depois, os comentários de um blogueiro de prestígio sobre os 10 maiores blog de SEO (recursos de otimização de blog para os robôs de busca) ali listados, e suas práticas. Anote os highlights.

Tópicos relevantes

- Metade dos 10 maiores usa wordpress como sua plataforma de blog.

- Os principais blogs, cujos posts não estão no domínio principal, usam subpastas para seus blogs, ou seja, nomedomínio/blog.

- Posts destes blogs tem URLs que incluem o título do post na íntegra. Dois apenas tem URLs curtas, apenas com as principais palavras incluídas, o que é uma das recomendações de SEO.

É por esse motivo que um editor de site como sitepx.com lhe dá a opção de editar a URL de seu post, reduzindo ou simplificando o título original do post.

- Oito dos 10 blogs tem “categorias” na barra lateral ou no cabeçalho, facilitando ao internauta a visão dos tópicos de seu interesse.

- Apesar de se dizer que RSS está nos últimos dias, os dez blogs usam Feedburner como seu RSS.

- Oito dos blogs indicam links para suas redes sociais que incluem Twitter, Facebook e Google+.  Um deles inclui ainda Pinterest e Tumblr.

- Todos os dez usam o Google Analytics.

Fonte: 180fusion

Categoria: Criar Blog, Redes Sociais, SEO
Comentários (0) e Compartilhar

Por que privilegiamos coletivos da internet ao mundo real?

Publicado por Marilvia Oliveira em 30/04/2013 às 12h28

A Humanidade ainda fala das multidões presentes à crucifixão de Cristo. Falam também das multidões de judeus seguindo para as câmaras de gás. Hoje, multidões de pessoas protestando são notícia permanente nas televisões e jornais. Este é o lado sofrido da Humanidade.

No entanto, existem multidões que se juntavam para ver, animadas, os Beatles onde quer que passassem assim como, hoje, se juntam para ver shows de outros artistas. Ali, jovens e adultos cantam e movimentam o corpo, inebriados pelos shows de luz e som.

Uma celebração interessante aconteceu em 2009, que nos lembra dos Beatles mas também permite refletir sobre como os coletivos se formam também sobre a alegria e a celebração espontânea. Pessoas receberam convite pelo celular para que estivessem na Trafalgar Square, no centro de Londres, às 6 da tarde. Nenhuma outra explicação. Chegando lá, receberam microfones individuais, enquanto em um telão rodava a música e letra de Hey Jude. Um imenso karaokê se formou. A tecnologia permitia que a câmera focasse em uma pessoa e apenas o som daquela pessoa era ouvido, no meio da multidão. Veja o vídeo.

Pessoas bonitas, saudáveis, inteiras na sua alegria, realizando algo que nos distingue – o canto, o sorriso, o embalo de nosso corpo ao som da música, e a alegria da convivência coletiva.

A internet, hoje, nos dá a chance da convivência coletiva. Muitas pessoas reclamam que os jovens estão inebriados com a internet e que se esquecem da família. Teríamos que nos perguntar por que preferem o coletivo da internet do que o coletivo familiar? Por que, depois que decidem criar um site ou um blog, passam tanto tempo pesquisando temas para escreverem para comunidades de internautas, em vez de se sentarem com a família para algo comum? Encontraríamos algumas respostas importantes. Casais se distanciam, cada um em seu computador, interagindo com amigos e parentes na coletividade do Facebook - por que a interação leve e solta do Facebook é muitas vezes melhor do que a interação na intimidade de um casal?

Vale celebrar a alegria dos coletivos festivos e divertidos que a internet tem oferecido e criticar menos, permitindo-nos mais o seu usufruto, sem deixar de colocar um novo olhar sobre os nossos relacionamentos.

Os sioux podem contribuir com estas reflexões. Eles tem um conceito que é “mitakuye oyasin” que representa que todos somos um só, que a estrela da manhã e todas as estrelas do céu estão relacionadas a nós, e também o sol nascente e o sol poente e, enfim, todas as coisas estão inter-relacionadas.

Quando partimos deste ponto de vista, os coletivos surgem como que abençoados por uma nova luz e temos a condição de aceitá-los com maior compreensão, buscando então compreender porque certos coletivos estão em perigo e precisam de cura.

Categoria: Conteúdo, Criar Blog, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Hashtag, um tremendo recurso para conteúdos diferenciados e atuais

Publicado em 27/04/2013 às 22h43

Hashtag é aquele símbolo ( # ) que se coloca antes de uma expressão para destacá-la e transformá-la em palavra chave que funcionará para você saber o que se está dizendo sobre aquela idéia ou fato, na internet.

Isto pode ter um impacto muito grande no seu marketing e sobre a sua idéia se você for preciso no uso. Hoje é sexta-feira e, por exemplo, eu pesquiso no twitter uma hashtag:  #Limpeza. Veja um pouquinho dos vários comentários sobre o assunto:

Na lista que selecionei, no twitter, há informações sobre produtos, marcas, pessoas que estão limpando a pele ou a casa. E, de quebra, uma dica sobre serviços que o Yahoo vai descontinuar. A hashtag ajudará na busca mas para ler o conteúdo que deu origem a ela, terá que clicar no link curto do texto básico. No caso, da limpeza do Yahoo seria este: bit.ly/11wblCV. Veja na última linha acima, do quadro.

Quais são os problemas que ocorrem com a hashtag? No Brasil,o pessoal usa meio na brincadeira. Toda vez que querem zoar com algum assunto, colocam o nome do assunto + hashtag. Resultado? Você clica e não aparece nada porque, na verdade, o tema não está sintonizado com algo forte na rede, naquele momento, mas sim com uma brincadeira. Seria importante usarem a hashtag com mais critério, de forma inteligente, para maior produtividade na internet.

Outro aspecto é que hashtag não é privilégio do twitter mas é onde ficou mais conhecida. Você também encontrará no Tumblr, Instagram, PInterest, Google+. No Facebook só tem o sentido de brincadeira que acabamos de comentar, embora aquela rede social esteja pensando em incorporar como recurso mais relevante. Ao criar um site sobre um determinado tema, aposte em informações que encontrará no twitter com hashtag+SeuAssuntoPredileto.

Se você ainda não entrou no twitter, esta é uma boa oportunidade. Entre e comece a utilizar aquele microblogging como instrumento de pesquisa. Vai se encantar com o universo de temas do momento que estão lá sintetizados. E, aos poucos, vai ficar fã número um da hashtag e seus benefícios.

Categoria: Conteúdo, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

É importante manter seu blog vivo!

Publicado por Marílvia Oliveira em 20/04/2013 às 10h48

Fazer um blog é um compromisso diário com a vida. Você tem que descobrir assuntos e experiências do dia-a-dia, com um toque de novidade. Criar blog é sua conexão com a vida prática transformada em algo vivo, em mensagem interessante e que realmente faz as pessoas seguirem seus posts.

O twitter é um dos recursos que transforma também o seu blog em algo vivo. Quando você posta algo diferenciado e anuncia no twitter, quem já o segue e conhece sua linha de trabalho, vai logo lá conferir.

Outro recurso forte, para dinamizar o blog, é o vídeo. Pode ter certeza de que para todos os temas que você escreve em blogs, haverá vídeos divertidos, criativos, curiosos para você incluir.

O vídeo dá uma dinâmica diferente ao seu blog. Ele cria quase que um intervalo de entretenimento.

Problema: nada de por vídeos em excesso. Daí o feitiço vira contra o feiticeiro.

Abaixo um vídeo sobre viver "conectado" - a palavra de ordem no blog.

Categoria: Conteúdo, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Você está bem apenas quando está conectado?

Publicado por Marilvia Oliveira em 04/04/2013 às 00h18

Primeiro dia de abril. Estou em reunião com um player internacional, ainda com ressaca dos chocolates da Páscoa. Em certo momento, brinco sobre seu estilo lacônico nos e-mails. Ele me responde: eu detesto celular e internet. Gosto de olhar nos olhos da pessoa, ver como ela pensa, como fala. E isso não é primeiro de abril: enquanto falamos, em sua belíssima sala de reunião, em um dos andares mais altos de um edifício "inteligente", uma seleção de músicas contemporâneas faz fundo às conversas e ele atende muito rapidamente a duas ligações em seu celular e delas se desvencilha, informando que não poderia falar. Consistente, pensei.

Mais consistente ainda com uma tendência que vem começando a se esboçar: a da desconexão.  Francis Jaureguiberry, que comanda um grupo de pesquisa sobre a sociologia da comunicação, desenvolve trabalhos sobre a desconexão – uma reação social à lógica da comunicação moderna, que rouba do homem seu próprio tempo e seus ritmos em prol de uma “sincronia generalizada”. Eu ligo para você e você tem que estar aí. Ei, por que você não atende o celular? Eu me conecto ao Facebook e questiono, ao não te encontrar: onde você estava que não te vi no Facebook? Você acabou de abrir uma empresa e os funcionários reclamam que você não instalou internet em rede para eles... E assim por diante.

Se estivéssemos falando apenas de um professor de sociologia, e um empresário singular, poderia até dizer que estas pessoas não entendem do mundo moderno. Mas, pasmem, reações similares estão ocorrendo no coração do mundo moderno da internet e das novas tecnologias. Três quartos dos pais de alunos da escola Waldorf no Silicon Valley – em San Francisco - são ligados às novas tecnologias, alguns, inclusive, do Google. A escola é orientada a partir da visão de Rudolf Steiner que busca estimular todas as capacidades da criança - física, emocional, intelectual, estética, moral e espiritual - e onde a tecnologia tem lugar restrito.

Um destes pais, Pierre Laurent, segundo reportagem do Le Monde, diz que o computador é apenas uma ferramenta. Para aprender a escrever, é importante poder efetuar grandes gestos. A matemática necessita da visualização espacial. A tela do computador reduz as experiências físicas e emocionais. Pierre Laurent diz que não teme a desconexão de seu filho, pois trabalhou 12 anos na Microsoft e sabe que os softwares serão cada vez mais simples. Por que então colocar a criança muito cedo em contato com tecnologias que estarão, provavelmente, superadas quando ela crescer? Touché!

Não bastasse este cenário desafiador e amplo, que estamos tentando, com esforço, resumir aqui, Francis Jaureguiberry vai mais longe e ousa: os “pobres” no mundo da tecnologia são os que têm que ficar conectados e tem a responsabilidade de responder a um email de imediato, e os “novos ricos” da tecnologia são os que têm a possibilidade de filtrar e definir certa distância desta interpelação permanente. Jaureguiberry inclusive compara com a televisão onde o consumo excessivo de TV é típico das classes populares. Uau! Durma-se com um barulho destes!

Se tudo que está implícito neste post ainda não está claro, e se os desafios que começam a surgir para as empresas que vivem da internet e da conexão permanente inquietam, mais louco ainda será ver o vídeo “Really?” abaixo onde, sob a vibrante musica de Edvard Grieg, este mundo da conexão permanente é questionado e capitalizado pelo próprio celular. Delícia de mundo complexo e instigante o nosso, hein! Haja coração!

Categoria: Interações, Redes Sociais
Comentários (2) e Compartilhar

Fique alerta à vida nas redes sociais!

Publicado por Marílvia Oliveira em 21/03/2013 às 09h00

Ao criar blog, você tem um compromisso formal, visceral, fundamental com o conteúdo. No entanto, não se mantém um blog apenas com o conteúdo. É fundamental divulgá-lo e aí entram as redes sociais. Ali você encontrará gente para ler os seus posts, comentá-los, interagir e, em alguns casos, até viralizá-los.

Já comentamos sobre a importância de criar blog em plataforma profissional como é o caso do sitePX, pois a interação com as redes vem automática. Basta postar o conteúdo e já, ao lado, estão os botões para clicar e informar as principais redes sociais sobre o que você está postando.

A internet, contudo, é um mundo em ebulição. Todas as tribos ali interagem e criam seus movimentos, dicas, rumores e direções. Há algum tempo começou um boato sobre o futuro do Facebook: será que? Neste início de ano, novas ferramentas estão tresloucando adolescentes e novamente um rumor: este grupo está deixando facebook aos poucos. São atraídos por instagram, snapchat (fotos enviadas aos amigos, em segundos, por celular e que logo desaparecem), e outros. Aplicativos que surgiram com o sucesso do Pinterest, avaliado em um bilhão de dólares, surgimento do Viddy (o vídeo de 6 segundos feito por celular) e a compra do Instagram por um bilhão de dólares.

Os adolescentes reagem e exponenciam o aplicativo. Brincando e jogando, fazem estes negócios crescerem. E aí está o ponto a se prestar atenção para quem criar um site, tiver blog, ou e-commerce, voltado para este segmento. O blogueiro, o empreendedor com seu e-commerce tem produtos para este segmento? Não há como evitar se atualizar e utilizar, quando possível, tais novos aplicativos. Seu compromisso com o conteúdo deve ser paralelo a seu compromisso com a divulgação e, por isso, antenado também com as redes sociais e os novos aplicativos que vão surgindo e conquistando o seu público. Mantenha-se atualizado com o que está ocorrendo, com a vida que está pulsando na internet, para se comunicar melhor.

Ler também: criarsites.net.br

Imagens: © Monalyn Gracia/Corbis

Categoria: Conteúdo, Interações, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Criando uma cadência disciplinada de posts

Publicado por Marilvia Oliveira em 19/03/2013 às 09h45

O maior desafio de quem criar blog e iniciar seus posts tanto no blog quanto nas redes sociais,  é a disciplina. O mesmo ocorre para quem criar um site e, nele, acoplar um blog. Como os posts tem vida efêmera, você precisa estar sempre se renovando, e criando conteúdo novo e atraente em bases contínuas.

Recomenda-se definir um fluxo programado de entrada de novos posts. Algo assim, como três posts por semana. Nas redes sociais, divulgue o post no dia da publicação, com repique nos dias intermediários, em horários distintos do inicial. Cada rede social tem seu ritmo e você precisa avaliar esse ritmo de acesso e publicação para definir os dias da semana para lançamento de conteúdo inédito e os dias de repique. Assim, também, os horários.

Não adianta postar no meio da manhã, se você claramente observa que há poucas pessoas na rede. Em momentos de maior fluxo, como outras pessoas estarão também postando, seu post pode ficar esquecido pois não foi visto no momento certo e fica misturado na multidão.

Esta cadência pode ser incrementada se você usar as redes sociais para uma orquestração de sinais. Exemplifico: no blog do seu site, você coloca o post inédito, bem no início da manhã. Na hora do almoço, no meio da tarde e no início da noite, você manda um twitter, falando de uma idéia do post e colocando seu link. No facebook, nos melhores horários para seu público, você comenta algo do post e coloca uma imagem, vídeo ou algo complementar para criar o clima que estimule buscarem o seu blog.

A decisão de criar blog implica em uma disciplina. Incluir as redes sociais na divulgação dos posts faz parte desta disciplina. O seu trabalho, caso utilize a plataforma do sitePX, será facilitado porque você pode agendar a publicação dos posts automaticamente e deixá-los já prontos, para se concentrar na divulgação nas redes, o que dependerá de um comando seu.

É uma disciplina que vale a pena estabelecer em seu trabalho de comunicação. A orquestração de tudo isso dará aquela cadência agradável que fará com que, aos poucos, seu público se acostume com a sua entrada na rede, sabendo que tem coisa relevante lá, preparada especialmente para eles - e que encontrará sua presença, leve e solta, no seu blog e nas redes, em momentos precisos e adequados.

Leia também: criarsites.net.br

Imagem: © Randall Fung/Corbis

Categoria: Conteúdo, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Sua assinatura na internet é completa?

Publicado por Marilvia Oliveira em 09/03/2013 às 08h10

Sempre falamos que, ao criar um site, deve também criar um blog, para estar presente na interned de forma mais dinâmica. Outro caminho dinâmico de estabelecer presença na internet é a sua conexão efetiva com outras redes. Tudo isso, porém, tem que ser comunicado às pessoas - como fazer este painel sobre sua vida na internet? A melhor forma é em sua assinatura.

Montar como que um painel em sua assinatura é essencial para que as pessoas compreendam a totalidade de caminhos que você pavimentou na internet. Dependendo de suas preferências, elas irão pesquisar você em um ou outro dos caminhos oferecidos.

Procure construir cada trilha da forma correta. Não adianta assinar com a indicação de várias trilhas se, ao entrar, encontramos um longo corredor vazio. Ter presença é realmente construir presença. Um bom exemplo para tornar isso claro é decidir inserir alguns dados muito rápidos sobre você no LinkedIn sem ter uma atuação mais intensa naquela rede tão importante. A pessoa entra para conhecer você melhor e acha, quando muito, duas linhas, sem nada mais que esclareça a dinâmica de suas interações, de sua ação no mercado, de seu perfil profissional. Não funciona assim! Tem que mostrar presença pois o LinkedIn, assim como as redes sociais de um modo geral, não são simples diretórios de nomes.

Exemplo de assinatura completa

Fulano de Tal

Você precisa de tudo isto? Depende de seu negócio e de sua estratégia. Mas estão aí trilhas interessantes para você construir, Selecione as que mais interessam para seus objetivos.

Ah! um recado: você pode diminuir estes longos endereços usando um encurtador de URLs (ex. tinyurl.com), e assim terá uma assinatura extensa na internet mas com visual mais enxuto.

Leia também: www.criarsites.net.br

Imagem: © ImageZoo/Corbis

Categoria: Conteúdo, Redes Sociais
Comentários (0) e Compartilhar

Convença-me sobre o LinkedIn

Publicado por Marilvia Oliveira em 07/03/2013 às 10h17

Outro dia, uma pessoa me dizia que nada a fazia avaliar o LinkedIn como uma opção de presença na internet e que não entendia porque sempre eu o recomendava. Aqui vão os argumentos que devem ser levados em conta.

O LinkedIn, para quem não está lá e não sabe bem como funciona, parece um diretório profissional. O site do LinkedIn informa que eles são hoje a maior rede social profissional no mundo. Tal rede é muito dinâmica – 2 novas pessoas entram no LinkedIn a cada segundo. Ali são feitas mais de 7 mil buscas por minuto. Em cada 5 pessoas, 4 são pessoas que decidem ou direcionam decisões de negócios. Só por isso já valeria a pena estar lá.

Mas as pessoas buscam o que no LinkedIn? – esta pessoa perguntou. A busca está ligada primeiro às pessoas e às empresas. Ali você tem o perfil da pessoa e das organizações. Quando você entra e começa a se relacionar, conectando-se a pessoas que você conhece e que lá estão, elas irão pesquisar seu site, seu blog, sua página no Facebook, gerando tráfego para ambos.

A segunda forma de você criar interesse em relação a você e seu site e blog é o conteúdo que você posta no LinkedIn. Sobre ele, virão Likes, Comentários ou Compartilhamentos. Ali, também, você divulga eventos dos quais participará ou que estará promovendo, assim como ebooks e white papers.

A terceira forma é a participação em grupos. Você pode se interessar por um grupo do qual um conhecido já faz parte ou abrir o Diretório de Grupos e entrar naqueles cujos temas mais o interessam. A partir disso, você poderá postar conteúdo no grupo. Quanto mais interessante, mais você estimulará pessoas a pesquisar seus temas e se relacionar com você. 

Ao criar blog ou criar um site, é fundamental estar presente no LinkedIn. Seu conteúdo, seu perfil profissional, sua atuação no mercado se farão presentes de forma muito concreta através desta rede. No sitePX, você tem, a cada post, a conexão direta com o LinkedIn.

Leia também: abrirempresaindividual.com.br

Categoria: Redes Sociais
Comentários (1) e Compartilhar

left show tsN fwB|left tsN fwB|left show fwB|bnull|||news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR b01 c05 bsd|normalcase c05 b01 bsd|login news normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR b01 c05 bsd|b01 normalcase c05 bsd|||